Quando é indicada a Mastopexia?

24 de fevereiro de 2021 por Dr. Eduardo Raulino0
Quando-e-indicada-a-Mastopexia.png

A mastopexia é o nome da cirurgia estética para levantar os seios. Esta tem como objetivo reverter o caimento natural, reposicionando a aréola e a pele com flacidez.

É natural que os seios sofram várias alterações causadas pelos hormônios, uso de anticoncepcionais orais, gravidez, amamentação ou menopausa. Por isso, com o tempo, acabam alterando o seu aspecto e consistência, tornando-se mais caídos.

A mastopexia permite reposicionar os seios, elevando as mamas até sua posição original, garantindo simetria. Segundo a ISAPS (sociedade internacional de cirurgia estética) mais de 500.000 mastopexias foram realizadas em 2018, o número cresceu quase 10% em relação ao ano anterior.

O procedimento é indicado para pacientes que, normalmente, estão satisfeitas com o volume dos seios, mas descontentes com o excesso de flacidez ou caimento deles, que podem ser em função do envelhecimento, grande variação do peso ou amamentação.

Mas, no geral, os principais motivos que levam as pacientes indicadas a optarem pela cirurgia são:

O envelhecimento, onde a pele das mamas perde elasticidade. Somando a perda de elasticidade com o efeito da gravidade, causa o estiramento dos ligamentos suspensórios que são responsáveis pela união da mama à parede torácica;
A gestação, que também faz com que as mamas fiquem maiores, perdendo a elasticidade após a gravidez e causando flacidez;
A perda de muito peso, que tende a aumentar a flacidez;
O fator hormonal, que muitas vezes pode modificar o corpo e causar o apontamento da mama para baixo;
E a pseudoptose – quando auréola está acima do nível do sulco mamário mas a parte inferior do seio está abaixo da dobra.

Quais cirurgias podem ser associadas a mastopexia?

A cirurgia de aumento de mama, conhecida tecnicamente como mamoplastia de aumento, tem se tornado cada vez mais popular e pode ser associada a mastopexia.

A técnica utiliza implantes para dar volume aos seios ou restaurar o volume mamário perdido após perda de peso ou gravidez. Mas, em geral, a mamoplastia de aumento é indicada para mulheres com mamas pequenas, mamas desproporcionais ao corpo, e para correções de assimetrias e peitos flácidos – associando-se à técnica de mastopexia.

Mastopexia com prótese

Uma dúvida frequente entre as pacientes refere-se ao uso de prótese de aumento, pois nem sempre a prótese é utilizada.

O procedimento clássico é feito sem utilizar próteses ou silicone, pois apenas corrige a flacidez dos seios. No entanto, quando a mama é pequena a mulher pode optar por avaliar com o médico a possibilidade de colocar a prótese durante a cirurgia, sendo chamada mastopexia com prótese.

O uso da prótese mamária pode ser tanto uma solicitação da paciente que tem o desejo de aumentar o volume dos seios quanto uma recomendação do cirurgião plástico responsável. Ele pode indicar o uso da prótese por diversos motivos, tais como o excesso de pele e densidade da mama, perda de peso ou perda do volume das mamas após amamentação.

Além de que, existem casos em que a mama está com espaços vazios, que precisam ser preenchidos pelo silicone para que seja devolvida a firmeza e a sustentação. Sendo a mastopexia com prótese o procedimento mais indicado nesses casos.

Como é a recuperação no pós-operatório de mastopexia?

Em geral, o pós-operatório da mastopexia não dói, mas é importante que as recomendações médicas sejam seguidas corretamente – incluindo uso de analgésicos para a dor e outras indicações que auxiliam e reduzem o desconforto imediato.

Movimentos bruscos dos braços devem ser evitados durante 30 dias. Levantar pesos, erguer os braços acima dos ombros, deitar de lado ou de bruços podem causar o rompimento dos pontos e prejudicar a cicatrização. Qualquer atividade física no período de recuperação deve ser autorizada pelo cirurgião.

E, como dito acima, o cirurgião também pode receitar uma série de medicamentos para auxiliar na recuperação. Anti-inflamatórios, antibióticos e até mesmo analgésicos para dor, ou pomadas à base de silicone para cicatrização, podem fazer parte do tratamento pós-operatório.

A exposição ao sol também é outro fator que pode prejudicar a cicatrização e causar manchas permanentes na região, então a orientação do cirurgião também é necessária para liberação da exposição ao sol.

O uso do sutiã cirúrgico

O sutiã cirúrgico é utilizado para auxiliar na recuperação pós-operatória. Ele auxilia na diminuição do inchaço, além de remodelar as mamas.

Normalmente é recomendado o uso por cerca de 30 dias podendo ser retirado apenas para momentos de higienização e banho. O tecido do sutiã cirúrgico é antialérgico não causando irritação na pele no processo de cicatrização.

A importância da primeira consulta

É muito importante realizar uma consulta inicial para tirar todas as dúvidas. Nessa consulta é onde você além de tirar dúvidas poderá conhecer melhor o cirurgião plástico. Questionar a experiência do cirurgião, perguntando de casos atendidos, especializações, perguntas e dúvidas que vão ajudar você a sentir mais confiança no cirurgião.


Faça seu Comentário

Seu e-mail não está cadastrado. Preencha os campos com *, eles são Obrigatórios!


pediatric-logo-footer

Sou médico há 15 anos e cirurgião plástico com mais de 10 anos de experiência. Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Nascido na cidade de Blumenau e médico pela Fundação Universidade Regional de Blumenau. Concluí a residência médica em Cirurgia Geral e a Pós-Graduação em Cirurgia Plástica Estética e Reparadora na cidade de São Paulo, no Hospital de Referência Estadual Ipiranga, onde tive a oportunidade de conviver e realizar cirurgias com os grandes nomes da Cirurgia Plástica Brasileira e Mundial. Sejam bem-vindos!

Posts Recentes

Eduardo Raulino © 2020

WhatsApp chat